‘PF de Dino’ conclui: Ex-assessor de Zambelli não pagou para hacker invadir sistema

Além disso, a PF não encontrou indícios de que Zambelli sabia dos ataques ao sistema do CNJ,

0
12

“Olhe para os arrogantes, os perversos que em si mesmos confiam; o justo, porém, viverá por sua fidelidade a Deus. – Habacuque 2:4

O dinheiro repassado pelo ex-assessor de Carla Zambelli (PL-SP) ao hacker Walter Delgatti não teve relação com a invasão dos sistemas do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A conclusão é da PF, comandada pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino.

As transferências, que totalizaram R$ 10,5 mil, foram feitas para pagar garrafas de uísque, segundo o relatório parcial da investigação. Elas foram feitas em fevereiro, viaPix, pelo assessor Renan Goulart, que hoje está trabalhando com o irmão da deputada federal, Bruno Zambelli (PL-SP), que é deputado estadual.

Não há indícios de que Zambelli sabia de atuação de hacker

zambelli hacker

Carla Zambelli sempre negou tentar ter acesso ilícito a arquivos da Justiça.

Enquanto a defesa do hacker diz que ele recebeu por volta de R$ 40 mil para tentar invadir os sistemas do Judiciário, o laudo da PF fala de somente R$ 10,5 mil.

Além disso, a PF não encontrou indícios de que Zambelli sabia dos ataques ao sistema do CNJ, ou mesmo sobre as transações entre seu então assessor e Delgatti.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Autenticação *