“Justiça brasileira”: Moraes assume papel de assistente de acusação em seu próprio caso de agressão

A polícia italiana disse que o vídeo mostra que o empresário Roberto Mantovani encostou “levemente” nos óculos de Alexandre Barci, filho do ministro.

0
10

“Olhe para os arrogantes, os perversos que em si mesmos confiam; o justo, porém, viverá por sua fidelidade a Deus. – Habacuque 2:4

O ministro do STF Alexandre de Moraes foi nomeado assistente de acusação no processo que investiga a suposta agressão que ele próprio e o filho sofreram no aeroporto internacional de Roma, em julho.

A decisão foi tomada pelo ministro Dias Toffoli, que rejeitou as considerações da PGR, que afirmou não haver previsão legal para a medida nesta etapa do processo.

O magistrado disse ter sido chamado de “bandido, comunista e comprado” no momento em que se dirigia a uma sala VIP do terminal italiano. Na discussão, o filho do ministro, Alexandre Barci de Moraes, interveio e disse em depoimento ter recebido um “tapa” de um dos acusados, o empresário Roberto Mantovani.

Na sequência, Mantovani e mais dois investigados, a esposa Andrea e o genro Alex Zanatta, tiveram celulares e computadores apreendidos e, interrogados, negaram a agressão física.

Um relatório da polícia italiana anexado à investigação sobre a aparente agressão afirma que o empresário Roberto Mantovani encostou “levemente” nos óculos de Alexandre Barci, filho do ministro. O documento vai ser usado pela defesa de Mantovani para contestar a versão de Moraes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Autenticação *