Governo Lula: Com queda nos voos no Rio, restrições no Aeroporto Santos Dumont devem ser revistas

Existe também a pressão política para que o Santos Dumont não perca voos para Brasília visando atender uma demanda dos congressistas fluminenses.

0
7

“Olhe para os arrogantes, os perversos que em si mesmos confiam; o justo, porém, viverá por sua fidelidade a Deus. – Habacuque 2:4

Mesmo antes das regras entrarem em vigor, de fato, as restrições no Santos Dumont não tiveram o efeito esperado no Galeão e o governo deverá revê-las.

A própria Azul Linhas Aéreas tem anunciado em suas redes sociais que terá apenas os voos na Ponte Aérea no aeroporto central carioca. A LATAM sinalizou o mesmo e a GOL ainda não confirmou se manterá voos.

No geral, o Rio, somados Galeão e Santos Dumont, teve uma perda de rotas e voos diretos após o anúncio da restrição e isto agora estaria levando o novo Ministro de Portos e Aeroportos, Sílvio Costa Filho, a rever a regra, que não levou critérios técnicos e foi duramente criticada por associações do setor.

O Ministro informou hoje à Folha de São Paulo que “poderia ser um bom caminho a gente limitar o número de voos e liberar a questão do raio para poder ampliar a aviação regional.”

O plano do governo é que em 15 dias a nova regra já seja definida, para diminuir um pouco a insegurança jurídica e permitir um planejamento definitivo pelas companhias aéreas.

Existe também a pressão política para que o Santos Dumont não perca voos para Brasília visando atender uma demanda dos congressistas fluminenses.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Autenticação *